Softwares livre e pago

Wallace Vianna é webdesigner e desenvolvedor web.
linux_vs_windows
Imagem: Blog Artigos e tutoriais

Outro dia estava conversando sobre software livre (CMS, gerenciador de conteúdo) com um conhecido e chegamos a uma conclusão meio óbvia, mas que para mim ainda era algo nebuloso: o software livre na verdade é uma variação do modelo de negócios do software pago. Pode não ter sido assim na sua origem, mas hoje é. Vamos aos exemplos.

Continue lendo

TechnoDrops (15)

Adeus, Windows XP.

Não é novidade que a Microsoft descontinuará  suporte ao Windows XP (a partir de 2016, como afirmam alguns).
Esse S.O. como os Rolling Stones, iria continuar no mercado indefinidamente se a MS não fizesse algo para retirá-lo do mercado. Agora, ao instalar “software essencial” ao funcionamento do micro (ao menos se conectado a internet) aparecem os alertas:

windows-xp-adeus

Se não houver versão anterior do “software essencial” para download e instalação, muitas lanhouses/cybercafés com Windows XP vão ficar na mão, ou oferecer acesso a web limitado a “texto e fotos”.
Ou migrar para Windows mais novo.

Enfim, é o preço do progresso.

Continue lendo

Interface de usuário: soluções e problemas em uma mesma função

Walace Vianna é web designer

interface-do-usuario-UI_thumb

Imagem: fonte – http://www.des1gnon.com/2013/07/16-dicas-para-uma-boa-interface-de-usuario-ui/

Uma coisa que sempre pensei sobre a indústria de softwares/programas de computador, mais notadamente na parte de design de interfaces: as interfaces de usuário são ruins porque isso gera receita – através de aprendizado (treinamentos, cursos) ou venda (novas interfaces, novo ciclo de aprendizado) – ou por falta de investimento sério nessa área?
A Apple fabrica produtos com uma boa interface, simples e fáceis de usar, deve ser por isso que eles custam mais (?). Então as interfaces são ruins para baratear o custo final do software?

As interfaces devem evoluir, mas sem prejuízo ao usuário

Continue lendo

TechnoDrops (13)

Wallace Vianna é webdesigner.

Campanha contra baixadores de programas

Se você já tentou resolver algum problema envolvendo baixar um programa de sites de downloads – e estou falando de sites antes ditos como confiáveis como o softonic, CNET/download.com, softpedia, entre outros – já reparou que você baixa um programa Downloader/Baixador que, em tese garante “download seguro, livre de vírus”, mas que na verdade te faz instalar, compulsoriamente, trocentos programas de “parceiros” (pessoas/empresas que pagam para estar nestes sites, pois é uma vitrine publicitária/promocional como qualquer outra).

Continue lendo

TechnoDrops (9)

Wallace Vianna é webdesigner e desenvolvedor web

Esquecer ou ter a senha de seu e-mail roubada é um problema. Mas pior que isso é usar um serviço que não tem boas políticas de recuperação de senhas. O Yahoo melhorou bastante neste quesito e agora permite usar o telefone para recuperação de senha. Só que ainda não avisaram ao Yahoo que os telefones celulares no Brasil estão migrando para o formato de 9 dígitos, por isso não pude atualizar meu celular ali.
Outros sites como o Google permitem que se cadastre mais de um telefone móvel, para esse fim. Os sites da Microsoftl e Google permitem enviar para o celular cadastrado uma senha de acesso única a cada vez que se usa o serviço, o que garante a segurança da senha. Muitos sites possuem ainda outras opções para recuperação de senha, caso a conta tenha sido invadida e os dados (e-mail ou celular de recuperação) tenham sido alterados ou não existam mais.

O que não dá mais para aturar são as “perguntas secretas” para recuperação de senha ou obrigatoriedade de se digitar as senhas dentro de um critério próprio, como exige o Yahoo.

Continue lendo

TechnoDrops (8)

Por Wallace  Vianna , webdesigner

O Google resolveu reunir e oferecer seus aplicativos para uso profissional ou empresarial, com o nome de Google Apps (GA). Na verdade é uma ampliação do que o Google já faz com o Gmail (que é “alugado” pela Globo.com e outras empresas).

A era dos aplicativos “nas nuvens” parece que já começou, seja com a suíte Adobe CC ou com o Office365 da microsoft. No caso do Google, a empresa parece pretender repetir o sucesso do Gmail corporativo com seus demais aplicativos, que ora mudam de perfil (Google Docs que virou Google Drive) ou são descontinuados ou incorporados em outros serviços (Google Calendar, que pode ser acessado no Gmail ou na barra de ferramentas do Google).

Continue lendo

Portal dos Profissionais de Técnologia